Notícias

Quinta-feira, 02 Outubro, 2014

África na mira de private equities

Abril 2011, Private Equity & Venture Capital | Serviços e Distribuição
África na mira de private equities
©iStockphoto.com/TenEighty
  • Principais players do setor procuram oportunidades em África
  • Carlyle, Brait e Bain Capital já anunciaram investimentos no continente africano

Num mercado europeu saturado e com nítidas dificuldades de financiamento de aquisições, o crescimento exponencial que a economia africana revela está a captar a atenção de grandes firmas de private equity em todo o mundo.

Visto até há pouco como um mercado de fronteira, a aposta no dinamismo da economia africana tem sido nos últimos tempos particularmente evidente em investidores europeus e norte-americanos.

Exemplo desta dinâmica são os mais recentes movimentos investidores de grandes firmas de private equity que têm África na mira: a Brait, maior private equity da África do Sul, anunciou há pouco o lançamento do seu quinto fundo de investimento, enquanto a Carlyle, um dos mais relevantes players de private equity a nível mundial, que gere uma carteira de fundos de mais de 60 mil milhões de euros, revelou recentemente a pretensão de criar uma plataforma de investimento na região da África Subsaariana, com escritórios sediados em Joanesburgo e Lagos.

A Carlyle foi, de resto, o primeiro dos gigantes norte-americanos de private equity a assegurar presença na África do Sul. Já a Bain Capital, um grupo investidor norte-americano presente nos cinco continentes, concretizou a maior aquisição de sempre no país com a compra da Edgars Consolidated Stores, a maior cadeia sul-africana de pronto-a-vestir, por cerca de 2,4 mil milhões de euros, ainda que não conte com uma equipa de private equity local.

Nota:
Para ter acesso a este conteúdo faça Login por favor.

Texto