Notícias

Segunda-feira, 24 Novembro, 2014

Petrogal Brasil cobiçada por grupo petroquímico chinês

Novembro 2011, Transações - Fusões e Aquisições | Energia e Energias Renováveis
Petrogal Brasil cobiçada por grupo petroquímico chinês
©iStockphoto.com/leofrancini
  • Sinopec propõe-se comprar 30% da Petrogal Brasil por cerca de EUR 3.600m
  • Investimento na Petrogal Brasil deverá ser aplicado na exploração de petróleo no Brasil
  • Petroquímica chinesa é a 5ª no ranking das 500 maiores empresas mundiais definido pela revista Fortune.

O grupo empresarial chinês Sinopec está em negociações para adquirir à portuguesa Galp uma participação de 30% na sua subsidiária no Brasil, Petrogal Brasil, pelo montante de 4.800 milhões de dólares (cerca de 3.600 milhões de euros), numa operação que avalia os atuais ativos da Petrogal Brasil em 12.500 milhões de dólares.

A petrolífera portuguesa manterá, após esta transação, uma participação de 70% na Petrogal Brasil. Nos termos do acordo celebrado entre as duas empresas, a Sinopec irá ainda subscrever novas ações emitidas pela Petrogal Brasil no âmbito de uma operação de aumento de capital, num investimento que deverá ascender a  5.180 milhões de dólares (o equivalente a 3.800 milhões de euros).

Esta parceria com a Sinopec, um dos maiores grupos mundiais a operar no setor petroquímico, representa uma referência para a indústria de petróleo e gás, uma vez que o offshore brasileiro detém algumas das raras bacias de petróleo e gás de nível mundial.

A operação irá, assim, fortalecer significativamente a estrutura de capital da Petrogal Brasil, ao mesmo tempo que assegura o financiamento integral da expansão e desenvolvimento futuros das suas atividades de upstream no Brasil.

O consórcio estatal chinês Sinopec ocupa o quinto lugar no ranking das 500 maiores empresas mundiais definido pela revista Fortune. A Petrogal Brasil, por seu lado, registou, nos primeiros nove meses de 2011, um lucro ajustado de 172 milhões de euros, sendo 35,4% inferior ao mesmo período em 2010, consequência de um pior desempenho do negócio de refinação e distribuição.

A negociação de uma participação na Petrogal Brasil ocorre após o gigante petrolífero chinês Sinopec ter adquirido uma unidade da Repsol YPF no Brasil por 7.100 milhões de dólares (cerca de 5.148 milhões de euros), no maior acordo de investimentos em petróleo da China, e depois de - em 2009 - ter comprado a Addax por 8.300 milhões de dólares (o equivalente a 6.000 milhões de euros). Através destas aquisições, a petrolífera chinesa ganhou acesso a reservas petrolíferas no Curdistão iraquiano e na África ocidental.

Nota:
Para ter acesso a este conteúdo faça Login por favor.

Texto